blog___001b.jpg

Como a pandemia mostrou a importância da gestão de clínicas e consultórios?

A gestão de clínicas e consultórios é uma área essencial para qualquer empreendimento médico, e uma pandemia como a de COVID-19 apenas enfatiza essa importância.

Apesar da grade do curso de Medicina não contemplar matérias como gestão financeira, empreendedorismo e inovações tecnológicas, esses assuntos são imprescindíveis para quem deseja iniciar seu negócio.

Ter um consultório próprio e não investir na gestão é um erro comum, e a pandemia de COVID-19 mostrou que muitos profissionais não estavam preparados para enfrentar uma crise.

De acordo com o IBGE, mais de 700 mil empresas fecharam definitivamente durante a pandemia.

É claro que é praticamente impossível estar preparado para uma pandemia. Afinal, ninguém sabe quando elas vão acontecer, e como será seu impacto.

Porém, existem algumas estratégias que podem sim, auxiliar os médicos durante uma crise financeira na clínica ou consultório.

Continue a leitura e descubra quais são elas!

Gestão de clínicas e consultórios na pandemia de COVID-19

Como cuidar de pacientes e administrar uma clínica ou consultório? É possível ter todas essas responsabilidades ao mesmo tempo?

Ser médico e administrador com certeza é um desafio, mas felizmente, é possível superá-lo sem precisar investir todo seu tempo apenas na vida profissional.

Existem algumas estratégias que podem fazer toda a diferença para o seu negócio, além de ferramentas que tornam vários processos automáticos.
Veja as nossas 5 dicas e descubra como melhorar a gestão de clínicas e consultórios, mesmo durante uma pandemia.

1. Previsibilidade das finanças

Um dos maiores causadores de fechamento de clínicas e consultórios é a falta de previsibilidade das finanças.

Muitos médicos não sabem quanto irão receber no próximo mês, quais são suas despesas recorrentes, quais indicadores financeiros devem acompanhar, entre outras questões.

Pode não parecer, mas saber exatamente qual é o seu fluxo de caixa, e conseguir prever como ele será nos próximos meses, pode salvar seu negócio de uma crise financeira.

Portanto, uma das dicas mais importantes que você não pode deixar de lado, é sempre acompanhar suas finanças e pensar no futuro.
Ou seja, tenha um bom planejamento financeiro.

2. Conhecimento básico sobre gestão

Quando falamos de conhecimento básico sobre gestão, não é apenas realizar atividades como registrar entradas e saídas de dinheiro, ou registro de pacientes.

Os médicos que são responsáveis por um empreendimento precisam especializar sua educação médica em diferentes habilidades, como planejamento estratégico e gestão de pessoas.

A gestão financeira, por exemplo, vai muito além de movimentações de dinheiro, e precisa contemplar aspectos como capital de giro, tributação, investimento, entre outros.

Aqueles que buscam cursos de gestão de clínicas e consultórios acabam facilitando sua jornada até o sucesso, e se saem melhor em situações inesperadas, como uma pandemia.

3. Centralização dos dados do consultório

Provavelmente você já escutou isso em algum lugar, e o fato é que a tendência de centralizar os dados em um único local está ficando cada vez mais forte, principalmente com leis como a LGPD chegando.

Ter todas as suas informações em um único sistema é mais seguro, além de ser mais prático, principalmente quando pensamos em profissionais de saúde que precisam ter acesso rápido aos dados.

Essa estratégia também auxilia na gestão, pois com uma ótima centralização, você pode gerar relatórios mais assertivos e profundos, que irão te ajudar nas suas previsões financeiras, por exemplo.

Um software médico é uma ferramenta que consegue unificar todos os seus dados, além de entregar funcionalidades como prescrição e prontuário, e-mail marketing, Teleconsulta, e facilita o uso de plataformas financeiras.

4. Agenda médica organizada
Independentemente de sua especialidade médica, você provavelmente usa a agenda todos os dias, mesmo que conte com a ajuda de profissionais da recepção.

Você também deve saber que a maioria das pessoas assume que todo médico atrasa os atendimentos, por conta de experiências antigas em outras clínicas e consultórios.

A verdade é que muitos profissionais de saúde não possuem uma agenda organizada, principalmente quando elas são de papel.

Ter uma agenda médica online facilita a organização, e conta com diferenciais como bloqueio de horários, lista de espera, personalização de cores por procedimento, entre outros.

Porém, mesmo que você não conte com uma agenda online, é essencial sempre ter uma excelente organização na agenda.

Além de evitar atrasos, você também melhora um aspecto importantíssimo da gestão.

5. Se reconhecer como médico empreendedor

Apesar de uma boa parte dos profissionais de saúde administrarem os próprios consultórios, muitos ainda não se reconhecem como médicos empreendedores.

Essa pode ser uma grande falha, porque questões como especialização em conceitos de empreendedorismo, investimento em ferramentas de gestão, acabam sendo deixados de lado.

Se todo médico dono de clínica ou consultório começar a se reconhecer como um empreendedor, uma pandemia deixa de ser uma catástrofe financeira, e passa a ser um obstáculo que pode ser superado.

Afinal, provavelmente um empreendedor experiente conta com um bom capital de giro, possui boa previsibilidade, e todas as outras características que citamos no artigo.

Sobre o autor:

Felipe Lourenço: CEO da iClinic, empresa de software médico em nuvem líder na América Latina; graduado em Informática Médica pela Universidade de São Paulo (USP), especialista de Tecnologia em Gestão em Saúde, com passagens pelo mercado Europeu e saúde e pelo Vale do Silício, possui mais de dez anos de experiência no setor.

Compartilhe nas redes

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email