custos

4 dicas para reduzir custos da sua clínica ou consultório

Reavaliar a necessidade de todos os custos regulares do seu consultório ou clínica deve ser um novo hábito a ser implementado na sua rotina semestral.

Para descomplicar a adoção de medidas e novos hábitos que vão elevar a entrada no seu fluxo de caixa e permitir que você tenha uma maior reserva, confira a seguir 5 dicas para você reduzir os custos da sua clínica ou consultório.

#1: Negocie com fornecedores e faça cotações

Estabeleça o padrão de verificar a tabela dos preços com todos os suprimentos que você necessita a cada 6 meses. É natural que ocorra reajuste no mercado e até mesmo que o seu fornecedor padrão o faça, mas é importante comparar e avaliar se o seu fornecedor não está cobrando acima da média. Fatores como tempo de parceria, regularidade e quantidade são ótimos argumentos para negociar melhores condições e você ainda pode utilizar a tabela de preços do seu fornecedor para solicitar novas cotações com outras empresas, estimulando que os fornecedores adotem valores mais competitivos que reduzirão os custos do seu consultório ou clínica!

Se você tem condições de pagamento com desconto à vista, avalie se faz sentido antecipar suas faturas de planos de saúde. A taxa de antecipação na Medicinae é bem baixa, muitas vezes bem inferior ao desconto, o que significa mais recurso no seu caixa.

#2: Com mais atenção: reveja contratos com operadoras e faça a dupla checagem das faturas para evitar as glosas

Aprimorar a forma de lidar com a glosa é um dos maiores desafios para os consultórios e clínicas que aceitam convênios médicos e está relacionado aos mesmos benefícios de reduzir custos, afinal, ao reduzir os erros que ocasionam a glosa você diminui o seu retrabalho e aumenta a margem do seu faturamento mensal. O principal causador da glosa são os erros de digitação ao preencher os dados do paciente e descrição dos procedimentos. Outros enganos no envio de documentação e a incompatibilidade dos valores também são causadores. A dica portanto é revisar tudo para que se filtre possíveis erros, mantendo a expectativa sobre esse recebível.

No caso de convênios, também é preciso estar atento ao prazo de revisão dos contratos com as operadoras, para solicitar os reajustes ou fazer alterações. Dessa forma, a saúde do seu consultório também agradece.

#3: Atente-se para não pagar a mais por suas contas e obrigações fiscais

Estar em dias com as contas e obrigações fiscais do consultório evita multa, juros e consequentemente, dores de cabeça. Entretanto, estar em dia com elas não deve significar pagar a mais. Antes de tudo, programe pagamentos para serem pagos até a do vencimento e revise as contas pendentes no início e fim de cada semana. A dica é ter um calendário de pagamentos, destinado exclusivamente para essa finalidade.

Um dos fatores que mais assolam as clínicas e consultórios é a bitributação, já que o profissional de saúde realiza diversos atendimentos em conjunto com outros profissionais e, geralmente, um fica responsável por receber o valor total pelo serviço e repassar a cada uma das partes a quantia que cabe a cada um.

Busque soluções que favoreçam as suas necessidades como no caso do split de pagamentos, presente no nosso terminal de pagamentos, Medicinae Pay!

#4: Transforme o básico em hábito

Já deu para notar que alguns pontos de custos do seu cotidiano podem pesar e, muito, na saída do caixa de seu consultório. Por isso, estabeleça uma rotina de funcionamento rígida da sua clínica ou consultório e busque por alternativas de consumo econômicas. Exemplo, uma torneira de água convencional dispensa de 5 a 10 litros d’água por minuto, com dispositivos que economizam esse consumo ao regular o fluxo de água, a economia na conta pode ultrapassar os 10% no final do mês, gerando um impacto ainda maior se observado anualmente.

Com o aumento no custo da energia, a dica é substituir os equipamentos antigos ou que consumam grande energia pelos mais econômicos. Por exemplo, escolha o ar condicionado mais adequado para o seu consultório de acordo com o tamanho do espaço. Alguns sites oferecem o cálculo de consumo mensal de energia por ar condicionado, indicando a parcela que ele ocupará na sua conta de luz. Adotar lâmpadas de LED ao invés das convencionais também impactam no consumo, mas para o impacto dessas medidas serem o mais positivo possível, é necessário que haja uma rotina de controle do uso da água e da energia nas salas, evitando torneiras abertas e luzes acesas sem necessidade.

Nós sabemos: a comodidade de manter determinados hábitos pode ser maior do que a de se reorganizar para redefini-los e aumentar o seu caixa! Mas lembre-se: reduzir gastos não é apenas sobre economizar, mas principalmente, sobre aumentar a sua margem de faturamento e aproveitar essa elevação do caixa para reinvestir em algo ou expandir a reserva financeira emergencial!

Saiba aqui como a Medicinae transforma as Finanças de Clínicas, Consultórios e Hospitais.

Compartilhe nas redes

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email