3 motivos para abandonar o uso do cheque

O avanço tecnológico auxilia na prevenção, no diagnóstico e no tratamento de doenças, além de facilitar a rotina dos profissionais de saúde, mas quando o assunto é acerca dos meios de pagamento no setor, nos questionamos: por que nossos médicos ainda recebem cheques quando os malefícios são tão evidentes?

Com essa questão em mente, listamos 3 razões para abandonar o recebimento em cheque!

Quem voa é pássaro, avião ou cheque também?

O relato de nossos clientes consiste em uma inadimplência de 15 a 20% nos pagamentos em cheque, o famoso cheque voador. Esse nível provavelmente faria qualquer empreendimento ruir e não ter continuidade, ou seja, trata-se de um número expressivamente tóxico para a sua gestão financeira.

Para entender a gravidade da questão, inverta a situação: o que aconteceria se um médico fizesse apenas 85 a 80% do que deveria em uma cirurgia? Simplesmente inaceitável, correto?

A oportunidade de aumentar reside na diminuição da inadimplência ao parar de receber em cheque já que nada é mais justo do que receber pelo seu trabalho após estudar pelo menos 8 anos para desempenhar sua profissão e ao continuar em constante aprendizado para entregar os melhores resultados no cuidado aos pacientes, não é?

Cheque ainda é utilizado, mas até quando?

Cada vez menos utilizado no varejo em geral devido à inadimplência e fraude, é muito comum ouvir que sua utilização é feita exclusivamente no pagamento de médicos. No livro Bank 3.0 de Brett King, alguns dados se destacam sobre o seu declínio: nos EUA, em uma década, a representatividade caiu de 59,5% em 2000 para apenas 4,3% em 2010 enquanto a expectativa de utilização no Reino Unido em 2018 era de apenas 0,8% nos pagamentos pessoais.

Já de acordo com o Relatório de Vigilância do Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB), “A redução dos cheques em 2015 foi mais acentuada do que nos anos anteriores, apresentando quedas de 12% em quantidade e de 9% em valor em comparação com o ano anterior. Essas estatísticas sinalizam a continuidade do processo de substituição dos instrumentos de pagamento em papel pelos pagamentos eletrônicos”.

Case Saúde: quais os benefícios dos cartões de crédito?

O mercado de cartões de crédito cresceu a uma taxa de 17% ao ano, enfrentando inclusive um país em crise, ou seja, os meios de pagamento eletrônico já é uma realidade.

Para os pacientes, os benefícios são claros: agilidade, facilidade, segurança e a possibilidade do parcelamento. Dessa forma, é crescente o número de pessoas que exige essa vertente de pagamento, inclusive, no consultório médico não foge à regra. Permitir múltiplos pagamentos, seja no crédito, débito ou parcelado facilita a vida de quem está realizando o desembolso financeiro, geralmente em um momento delicado.

Já para os profissionais de saúde: elimina o risco de calote, permite uma maior previsibilidade e planejamento, além do médico poder contar com a antecipação dos recebíveis com taxas muito mais atrativas do que os descontos em cheques pré-datados. No caso da Medicinae Solutions, nossos clientes ainda contam com serviços exclusivos para a área da saúde como o split de pagamentos, que permite o pagamento a múltiplos profissionais e parceiros, direto na conta bancária, gerando um ganho direto ao não ocorrer bi-tributação, além de interfaces cada vez mais rápidas, amigáveis e de fácil utilização.

Compartilhe nas redes